sexta-feira, 9 de abril de 2010

Nosso LI-chão...nosso LAR?

Gentes,


Estou reformando minha casa (porque estava muito ruim mesmo) e feliz da vida a cada azulejo que vejo no chão. Gastar tempo, dinheiro, suor e cérebro para ter um lugar melhor faz com que eu goste cada vez mais do meu cantinho, faz com que eu comece a reconhecer aquele lugar (que nunca morei antes) como meu LAR. Me apegando, sonhando.
Bueno, pra que estou escrevendo isso? Pra falar de sentimento. Vocês devem estar acompanhando essa vergonha ABSURDA ocasionada pela falta de poder público que se imponha e NÃO permita que as pessoas levantem suas casas sobre um lixão! Nem é aterro sanitário...é lixão mesmo.
As gentes não tem culpa, eles querem seus cantos, suas casas que pro coração são chamadas de LARES.
As gentes não tem acesso a informação (engenharia, arquitetura), não tem dinheiro pra investir na estrutura das casas...as pessoas querem LARES. O abrigo, a proteção física e emocional do homem (ao menos era pra ser assim).
É comprovado que o brasileiro gosta de CHÃO e que por esse motivo nem sempre gosta de apartamentos. Ele não sente que é seu. Tião Galinha* feelings.
Não importa se o chão tem todo tipo de contaminação, microorganismos nocivos e gases esquisitos. Não importa mais se o CHÃO é um LIXÃO...se dizem que o chão é seguro então o lixão vira LAR.
Sem "Bjins" hoje. 


*Tião Galinha era um personagem de novela 90's que vivia atrás de um pedacinho de terra pra morar com sua mulher Joana.



Um comentário:

Gisa Dias* disse...

Ah queriiiida, que mara esse seu post, eu lembro do Tião galinha, maraaaaaa!

Mega feliz por ter gostado e apoiado o post de contra o racismo!

Megaaa bjokas para vc*